sábado, 2 de julho de 2011

Apesar de aperto, crédito e inadimplência sobem, aponta BC

Patrícia Duarte

BRASÍLIA - Depois de dois meses em alta as taxas médias de juros para pessoas físicas ficaram estáveis em 46,8% ao ano em maio, segundo informou nesta terça-feira o Banco Central (BC). Para as empresas houve uma ligeira alta de 0,1 ponto percentual no período, chegando a 31,1% ao ano. Apesar desses resultados a inadimplência no mês passado continuou subindo, com destaque para as pessoas físicas, passando de 6,1% para 6,4% . É quarta alta seguida. Para as empresas a inadimplência média ficou em 3,9% em maio, 0,2 ponto percentual a mais do que em abril.

Ainda segundo o BC, em maio o CDC voltado para compra de veículos recuou 0,5 ponto percentual, passando para uma taxa média de 30,4% ao ano.

Na ponta oposta, os juros médios cobrados no cheque especial tiveram um salto de 7,3 pontos percentuais no período, chegando a 185,4% ao ano . Já a taxa cobrada no crédito consignado recuou de 28,5% para 28,2% em maio.

O BC informou também que o saldo total das operações de crédito no país chegou a R$ 1,804 trilhão no mês passado, com crescimento de 1,6% no mês e de 20,4% em 12 meses, indicando que apesar dos esforços para reduzir o ritmo de expansão do crédito no país ela continua robusta. A cifra equivale a 46,9% do Produto Interno Bruto (PIB).

Fonte: O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente livremente, mas sem abusar do critério da livre escolha de palavras. Assuntos pessoais poderão ser excluídos. Mantenha-se analítico e detenha-se ao aspecto profissional do assunto em pauta.