sábado, 19 de junho de 2010

Conselho de Patrimônio Cultural em Nova Friburgo propõe criar Centro Histórico com outros 25 imóveis em torno da Praça

Casa de Galdino do Valle: tombamento definitivo


Na primeira reunião do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural, realizada no último dia 10, na Oficina Escola de Artes, no Centro, o secretário de Cultura, Roosevelt Concy, anunciou o tombamento definitivo da casa do médico e líder político Galdino do Valle (avenida Galdino do Valle, 47). Representante do movimento eclético, o imóvel havia sido tombado provisoriamente em janeiro deste ano, pelo Decreto 003/2010, assinado pelo prefeito Heródoto Bento de Mello com base na Lei Municipal 3.794/09, de autoria do Executivo, prevendo a preservação de prédios históricos de Nova Friburgo.

A família de Galdino do Valle teve prazo de até 15 dias para se manifestar a respeito do tombamento provisório da propriedade. Como não houve decisão em contrário, o tombamento foi acolhido, e agora o secretário de Cultura e o Conselho de Patrimônio Cultural vão encaminhar oficialmente a decisão ao prefeito para que o imóvel seja definitivamente tombado. O Conselho informará ao Cartório de Registro de Imóveis, e o tombamento será efetuado no Livro de Tombo de Belas Artes.

Presente à reunião do Conselho, o prefeito e engenheiro Heródoto Bento de Mello recebeu a decisão com bastante entusiasmo, uma vez que a preservação do patrimônio histórico do município é um de seus principais objetivos no Governo municipal. Também participaram do encontro representantes do Conselho Regional de Engenheiros e Arquitetos (Crea), Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e secretarias municipais de Cultura e Desenvolvimento Urbano Sustentável.

A proposta de tombamento definitivo dos imóveis situados no entorno da praça Getúlio Vargas, já referendados pelo Iphan, também esteve em pauta e já foi apresentada ao prefeito. O objetivo é preservar a ambiência e impedir que novos elementos obstruam ou reduzam a visibilidade dessas propriedades. A Lei 3.794 – aprovada por unanimidade no Legislativo, em 25 de novembro de 2009 -, que prevê a preservação da história e da cultura de Nova Friburgo, confere poder para retirar os letreiros dos comércios que funcionam no local.

Solar do Barão, um
verdadeiro símbolo

O secretário Roosevelt Concy, que também foi eleito Presidente do Conselho em sua primeira reunião, lembrou ser “emblemático tratar da preservação do patrimônio histórico de Nova Friburgo no prédio da Oficina Escola de Artes, mais precisamente no cômodo que foi a sala de jantar do barão de Nova Friburgo”. No local, existem gravuras originais da fazenda do Córrego Dantas, assinadas por Ernesto Martignoni, primeiro maestro da banda Euterpe Friburguense. “Estamos num dos imóveis de maior importância para Nova Friburgo, construído em 1840”, afirmou o secretário, que pretende retomar o nome original de Solar do Barão.

Falando sobre a necessidade de preservar a memória e a história da cidade, o prefeito Heródoto Bento de Mello lembrou que “já perdemos muitas coisas importantes”, quando todos os imóveis que ele havia tombado em gestões anteriores foram demolidos. O prefeito disse ainda que sofreu com a derrubada de alguns prédios que não poderiam ter ido abaixo, acrescentando que “temos que materializar a nossa história”.

Primeiros proprietários suíços

O Iphan identifica a criação de um centro histórico no entorno da Praça Getúlio Vargas com 25 imóveis contemplados, dentro de uma lista de 154 prédios fichados, que também serão objeto de trabalho específico da Secretaria Municipal de Cultura. O coordenador de Patrimônio Material e Imaterial, Luiz Fernando Dutra Folly, lembra que o tombamento da praça se deu em 1971, acompanhado de carta do urbanista Lúcio Costa.

Entre os 25 imóveis reconhecidos pelo Iphan, estão a catedral (igreja matriz São João Batista, de 1851); as duas casas de esquina na rua Monsenhor José Antônio Teixeira; o prédio que atualmente abriga a sede local do SBT, construído pelos irmãos arquitetos Jannuzi em estilo neoclássico; o prédio onde funciona a imobiliária Predial Primus - exemplo de art déco; as duas padarias localizadas na praça, que marcam a posição original das primeiras casas dos colonos suíços; o primeiro sobrado construído na cidade, onde hoje é a loja de jogos Pimball, que se encontra em péssimo estado de conservação e o edifício Spinelli, assinado pelo arquiteto Ricardo Buffa, um dos mais renomados em art déco.

Também fazem parte da relação, os imóveis do século XX localizados no fim da praça, como o da Energisa, em estilo neoclássico - antiga adega do barão de Nova Friburgo, com o mesmo acabamento da porta do prédio da Oficina Escola -, a sede dos Correios, também em art déco; o do antigo Fórum - projeto premiado no Salão de Arquitetura; o do Instituto de Educação de Nova Friburgo, além da própria Oficina Escola.

De acordo ainda com Luiz Fernando Folly, todas essas propriedades têm em comum o fato de o proprietário original ter sido um colono ou família suíça. Ele adiantou que a Secretaria Municipal de Cultura vai lançar o Guia da Arquitetura Friburguense - que fará um inventário da cidade -, através do Padec, programa do governo do estado que apoia o desenvolvimento cultural dos municípios.

Fonte: SECOM/NF

Um comentário:

  1. Olá, leia artigo sobre importância de preservar o patrimônio histórico, comente e se for o caso concorra a R$ 1.000,00 em prêmios. Acesse: www.valdecyalves.blogspot.com

    ResponderExcluir

Comente livremente, mas sem abusar do critério da livre escolha de palavras. Assuntos pessoais poderão ser excluídos. Mantenha-se analítico e detenha-se ao aspecto profissional do assunto em pauta.